domingo, setembro 04, 2011

O Dogging ou Sexo ao Ar Livre

O Departamento de Capturas da Polícia Civil (Decap) investiga a ação de grupos que organizam apresentações de sexo em praças e locais públicos na capital paulista. Segundo a polícia, casais chegam a um local combinado pela internet, dirigindo um carro completamente nus, e mantêm relações sexuais na frente de uma platéia improvisada. Os participantes também vão a drive-ins e promovem orgias clandestinas.
A prática, conhecida em países do exterior como “dogging” (expressão que se refere a cachorro, dog em inglês), é bastante comum no Reino Unido, onde comunidades na internet registram mais de 20 mil interessados. Lá, os grupos se reúnem normalmente em parques públicos ou mesmo em estacionamentos. Em São Paulo, os praticantes fazem contato em comunidades do Orkut e depois se encontram durante à noite em praças, ruas e drive-ins nas zonas oeste, norte e central.
Há centenas de comunidades de praticantes de dogging na internet brasileira. As mais freqüentadas reúnem, juntas, mais de 4.500 participantes. Na comunidade “Dogging in Sampa”, um participante explica que o nome dogging é usado pois “homens ficam à espreita como cachorros” para ver um casal manter relações sexuais. Em geral, os casais e voyeurs (os que gostam de olhar outras pessoas fazendo sexo) se conhecem no Orkut, mas marcam encontros por sistemas de mensagens eletrônicas, como e-mail e MSN.
- Eles não ganham dinheiro com isso. O desafio é manter uma relação sexual rápida na frente de dezenas de pessoas e, depois, fugir de carro. É uma questão de emoção - explica o delegado Aldo Galiano Júnior, diretor do Decap.
Segundo ele, a polícia já teve notícias de pelo menos uma reunião dessas na Chácara Santo Antônio, na zona sul de São Paulo. De acordo com Galiano, naquela região um casal foi detido nesta semana, e liberado em seguida, por ser flagrado completamente nu em um carro.
- Acreditamos que eles estavam indo para uma dessas exibições - diz.
O casal ainda deverá ser intimado para depor. No Orkut, as principais comunidades apontam como locais de prática de dogging ruas, praças e drive-ins da Lapa, na zona oeste, de Santana, na zona norte, e do Ipiranga, na zona sul. A polícia pretende fazer operações para coibir exibições e identificar os praticantes. Eles podem ser responsabilizados por crime de ultraje público ao pudor.
No Reino Unido, onde a prática surgiu, a principal preocupação das autoridades é em relação à saúde pública, pois grande parte das relações sexuais é promíscua, feita sem o uso de preservativos, expondo os participantes à doenças sexualmente transmissíveis. Em São Paulo, casais costumam chegar de carro às praças no final da tarde, quando já está escurecendo. A maioria é comprometida e aproveita o horário do rush para encontros extraconjugais.
- Os congestionamentos sempre servem como desculpa para chegar um pouco mais tarde em casa - confessa um dos freqüentadores assíduos.

Nenhum comentário: